Instagram

Entre agulhas e outros hobbies é aqui que me encontram ! @uma.pausa.para

5 de janeiro de 2016

A amostra nem sempre é importante




Antes de mais um Feliz Ano de 2016 !
Nunca pensei estar a escrever isto mas é verdade, pelo menos para o projecto que comecei antes do ano de 2015 acabar. O casaco para o meu filho mais velho cresceu, cresceu e como é um modelo top/down (feito cima para baixo) ia experimentando (na medida do possivel já que o meu filho mais velho nem sempre tem grande paciência para experimentar roupa). Ora depois de separar as malhas das mangas experimentei nele e continuei a tricotar e passei belos serões e algumas partes dos dias a fazê-lo, os dias viviam-se de forma mais calma, o tempo era de sobra. Nos primeiros dias do ano tinha já uma manga a terminar e faltava-me apenas começar a outra, a gola já estava feita só faltava mesmo as mangas e quem sabe as cotoveleiras ou lá como se chamam...Estava um casaco a meu gosto mas não do tamanho que gostaria. 

Fiz amostra antes de começar e dava certo o número de malhas e carreiras, escolhi o tamanho 4 porque engloba o de 5 anos também. O meu filho nunca foi de encher muito a roupa, é magrinho e toda a roupa fica-lhe larga bastante tempo. Ora que nem me dei ao trabalho de verificar as medidas da peça concluída na zona do peito, que é a única fornecida no principio das instruções, as do comprimento da peça vão sendo fornecidas à medida que a peça cresce e essas cheguei até a aumentar o número de carreiras pois estava a achar uma peça muito curta, bem como a barra dos botões. 

Para fazer este casaco a amostra serve de base mas sobretudo para a montagem das malhas, até se atingir as cavas depois a peça cresce conforme se chegue à medida que é fornecida. O casaco servia-lhe mas é um modelo de casaco que como na foto não aparece ninguém vestido não me dava a perceber modelo em si (e no ravelry ou não têm fotos com a peça vestida ou fizeram tamanho bastante acima da idade da criança), é um modelo cintado e curto e ainda ponderei que ficasse para o meu filho mais novo. Mas não era essa a minha intenção, queria que fosse para o meu filho mais velho e ontem desmanchei tudo, tinha usado 3 novelos inteiros de 50g e tinha encetado um 4º para as mangas. 
Ontem ainda comecei a fazer o casaco com as instruções para 8 anos mas estava a usar a lã que tinha sido desmanchada e não estava a gostar do efeito e decidi não ir pelo lado mais fácil (novamente) e lá desfiz os novelos usados e fiz meadas para lavar em água tépida e deixar secar para a lã voltar ao normal. Mas para além disso o tempo não ajuda e está muito ruim de secar roupa de algodão, quanto mais lã! Comecei o ano bastante contente com este casaco mas desde à 2 dias atrás que não lhe pego com gosto, mas vai sair uma casaco desta lã, ah se vai!

E não tirei nem uma foto à peça como a deixei antes de a desmanchar mas posso garantir que estava um casaco muito fofo mas demasiado pequeno para se vestir.

7 comentários:

  1. Ora pois, são agruras da vida! Oh Susana, como te entendo. Nem imaginas, aconteceu-me uma situação frustrante com a minha manta listrada, até preparei um post para partilhar a minha angústia sobre o assunto... em breves dias sai no blog e depois verás, terrível mas nada que não se resolva, claro. Haja perseverança e tudo acaba por acontecer e bem! É mesmo assim, desmanchar e voltar a fazer, nada de remediar o que pode ter boa solução. Força aí Susana, dar às agulhas e fazer nascer outro casaco ;) beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Dramas de tricotadeira... mas nada que não consigas resolver quando passar o "trauma" dessa aventura.
    Bjs, bom ano e bons tricot's!

    ResponderEliminar
  3. É isso mesmo, Susaninha, quando não está bem, temos que desmanchar e eu desmancho tantas vezes! Não gosto nada, mas depois o resultado compensa. :) Gostei da dica: podemos lavar a lã que ela volta ao normal, não sabia. :)
    Então força, coragem e vamos ao casaco!?

    ResponderEliminar
  4. Nestas alturas acho que o melhor é sempre colocar de parte por uns dias, e quando a neura e frustração passar, pegar novamente no trabalho com animo renovado.

    ResponderEliminar