Instagram

Entre agulhas e outros hobbies é aqui que me encontram ! @uma.pausa.para

29 de outubro de 2015

Um apelo, um pequeno projecto e um outro um pouco maior

Vamos por partes, primeiros quero falar-vos do apelo: à dois dias atrás li este post da Ana do blog No Mundo das Tatas e não consegui ficar indiferente a dar o meu contributo quer partilhando aqui pelo blog (na esperança de ser lido por outros demais leitores que desconheçam ainda o apelo da Ana) e a participar na execução de um brinquedo para ser oferecido a uma das crianças que estão sendo apoiadas pela Associação NOMEIODONADA , quisera eu ter mais tempo para fazer mais. Ainda não me decidi como será e o que será, vocês por cá serão os primeiros a saber ;o)

Um pequeno projecto que acabei ontem o bordo mas que já estava composto à já alguns dias é a gola que vos mostro em seguida feita de apenas 4 quadrados do Victorian Lattice Square (instruções livres do Ravelry escritas e com esquema em crochet) que partilhei em outros posts. Foi um acaso feliz esta gola, decidi-me a não fazer uma manta, e apesar de eu adorar estes mesclados de cores e mesmo a própria lã que é usada sobretudo para tricotar meias fiquei a pensar se não seria melhor usá-las em meias para as próximas que espero tricotar. O crochet agrada-me bastante mas neste momento um trabalho grande em crochet não me está a entusiasmar e queria que fosse uma manta que eu tivesse pronta ainda este ano e que não andasse a hibernar por muito tempo, ando meio avessa a fazer render trabalhos e trabalhos grandes são bem fáceis de se colocarem de parte... Ora, já tinha alguns quadrados feitos e usei apenas 3 para esta gola e os demais? vou reservá-los para outro trabalho maior (tal como vos disse no título do post) mas não muito já que são apenas 11 quadrados (ver terceira imagem das seguintes). Por enquanto pensei numa capa ou xaile rectangular, os quadrados serão parte do bordo do mesmo e penso fazer o corpo da capa/xaile acima dos mesmos, estou muito tentada a fazer em tricot, é mais económico e acho que daria uma graça extra à peça, ainda não me decidi...





Em outros anos, por esta altura já estaria a pensar no que fazer para oferecer a alguém pelo Natal, este ano será um pouco diferente, farei poucas:

♥ um xaile em crochet para a minha mãe (que ainda faltam terminar algumas flores)
♥uma gatinha preta e branca em tricot, inspirada nesta mas não será às riscas
♥ 3 pares de meias - acabar o par que estou à meses para terminar, fazer um para mim com esta lã e outro para o meu marido, ainda a decidir-me qual será a cor.
♥ a capa/xaile com os quadrados que falei neste post (para mim)



26 de outubro de 2015

Meias

Voltei a pegar nas meias zigzagular que comecei para a minha irmã, começadas em Maio deste ano ficaram hibernadas e passou a data que eu me tinha proposto para as ter terminado, no entanto já prometi que as vou terminar ASAP porque fazer render umas meias assim até é uma vergonha já que é um trabalho tão pequeno e este modelo em concreto, bastante simples. Voltei a pegar nestas meias depois de ter comprado pela módica quantia de pouco mais de 1 dólar as instruções para fazer meias com calcanhares Fish Lips Kiss Heel (FLKH) da autora Patty-Joy White aka Sox Therapist. E custou um bocado não começar outras meias para empregar o conhecimento adquirido do e-book, mas primeiro tenho de terminar as de heel flap primeiro e depois sim começar a fazer meias que assentem que nem meias ! A meia que vos mostro ainda em execução está quase terminada e é a do pé esquerdo, já que o motivo zigzag é para ser visivel do lado de fora da perna/pé mas para facilitar nas fotos coloquei no pé direito ;o) 

19 de outubro de 2015

Pituxa

A minha pseudo girl cat - já que foi feita segundo as instruções do boy cat que comprei -  'nasceu' à alguns dias, mas só desde ontem tem a roupinha e adereços acabados. Adaptei as instruções das pernas para fazer os sapatos e fiz uma bandolete com lacinho para enfeitar (bem como para esconder uma imperfeição das transições de cor - devido a não manter tensão correcta do ponto -  já que a cabeça foi a primeira parte que fiz. Mesmo em coisas para mim gosto de tentar esconder partes que menos gosto apesar de saber perfeitamente que elas estão lá. O vestido correu lindamente mas mais uma vez a parte da costura do vestido atrás e devido às ourelas imperfeitas na tensão não consigo ter um resultado que me agrade, no entanto será de desculpar já que o vestido foi feito a olho e sem recurso a instruções. Queria ter usado o bordeaux com rosa mas quando já tinha desistido de procurar pelo novelo perdido e depois de algumas carreiras com o amarelo encontrei mas não quis mais voltar atrás... Depois da gata estar vestida, o meu marido brincou comigo e disse que lá tenho que fazer outro bichano já que ando demasiado apegada à gata, só falta dormir com ela ;o)
Estas últimas duas semanas têm sido corridas, com novas rotinas, o pouco tempo para as agulhas foram só para esta gatinha, mais nada tenho feito. Com a aproximação do Natal a passos largos já começo a pensar em prendas em tricot ou crochet, mas confesso que serão poucas pois fico com a sensação de que o tempo dispendido com algumas é muito pouco valorizado...
Como 'mãe' que se preze não consegui evitar de tirar muitas fotos da Pituxa e foi dificil não colocar aqui mais ;o)



vestido antes de ser costurado epontas rematadas

a Pituxa tal como muitos gatos adora sentar-se em frente ao computador

 todos os adereços podem-se tirar e pôr ;o)

9 de outubro de 2015

De xaile a casaco

Tudo começou aqui (pelo menos a vontade), e seria em crochet. Quase 2 meses depois e a 14 dias de ser mãe pela 2ª vez mostrava-vos o que já tinha feito até à altura. Péssima ideia a minha de querer fazer um casaco ainda grávida. Poucos dias depois já tinha as mangas feitas e juntando tudo odiei o casaco e toca de desmanchar tudo e entretanto os novelos ficaram à espera de melhores ideias... 4 meses depois lá vos contava da nova decisão para os novelos e vos mostrava que antes sequer de querer fazer um casaco esta lã era para a Saroyan Scarf, xaile muito bonito que não merecia esta lã e agora que falo nisto penso ter em casa a lã ideal para essas instruções, mas nem tenho ideia para quando começar...
Ora bem, a base para este casaco foi o Sawtelle cardigan, mas como vos contei no post anterior fiz algumas alterações e optei por não fazer mangas. Ainda pensei em fazer uns bolsos mas depois deixei isso para outra oportunidade, vi um tutorial que mesmo após a peça feita se adicionava os bolsos incorporados na peça sem costuras na frente, mas apenas no que iria formar o bolso no interior. Esse tutorial encaixava bem neste casaco já que se baseia também num exemplo em ponto mousse, garter stitch, mas fiquei reticente em avançar, pois até estava a gostar bastante do casaco assim mesmo, sem bolsos. A técnica eu já a conhecia mas aplicada a abrir casas para botões mas nunca coloquei em prática já que resulta em casas para botões grandes e tenho preferido a laçada seguida de 2 pontos juntos tricotados para formar a casa do botão.
A construção da peça foi feita de maneira diferente das instruções, não costurei frentes com costas, unia-as com o kitchener stitch (ponto que aprendi por escrito e não por video - no link anterior partilho um video que pode não ser o melhor para explicar mas serve para terem uma ideia de como se faz) No casaco uni a peças com essa costura e fiquei com uma peça só frentes e costas (tive o cuidado de terminar as peças no lado direito em ponto liga (purl) já que essa 'costura' segue o formato do ponto meia. A gola foi feita 2 vezes, levantando malhas nas frente e usando as que deixei em suspenso nas costas (nas instruções estas eram rematadas e depois costuradas normalmente). Inicialmente fiz em ponto mousse (garter stitch) mas não gostei do efeito, pesava demais e não arrebitavam um pouco na zona que dobrava. Desmanchei e fiz barra canelado 1/1 (1 meia/1 liga) e rematei com o bind off deste tutorial, que consiste em explicar o Jeny's Surprisingly Stretchy Bind off que confere bastante elasticidade às peças, no meu caso, à gola. Este video pode confundir um pouco já que a forma de tricotar é diferente da nossa, mas também quando comecei a aprender/reaprender eu não percebia minimamente mas por tentativa- erro lá cheguei. Se alguém precisar de umas luzes para entender melhor em outra ocasião poderei mostrar aqui no blog em detalhe as laçadas que se fazem antes de pontos liga ou pontos meia para poder executar este tipo de remate. Nas laterais das frentes (do lado dos botões e casas dos mesmo, levantei as malhas do ponto mousse e depois rematei-os logo em seguida em liga, acabou por dar menos elasticidade a essas 2 zonas que pela natureza do ponto mousse deixava os bordos demasiado frouxos e com apenas 3 botões dava um efeito bem desajeitado ao casaco.
Vamos passar às imagens, que até não estão muito boas devido a serem do telemóvel.




5 de outubro de 2015

A pressa, os trabalhos acabados e desilusões também

sempre ouvi dizer que quanto mais depressa, mais devagar e antes sequer de começar a fazer a gata em tricot (girl cat da Julie Williams) já andava a sondar vestidos para lhe fazer, mas não queria pagar por novas instruções só por causa do vestido e sapatos já que o restante é igual ao boy cat que fiz. E dessas pesquisas quando dei por mim estava a desenhar um esquema a olho do vestido original, a contar carreiras, a tentar adivinhar diminuições e ainda só tinha a cabeça, uma perna e tronco da gatinha já eu estava a começar o vestido. Decidi usar os mesmos tons da camisola do gato para fazer conjunto mas brevemente iria dar-me conta da tão má escolha que fiz. Usei a tonalidade meio azulada para o corpo da  gata porque foi o novelo que me sobrou do gato já que eu tinha-me enganado na espessura e tinha comprado essa cor para a camisola. Ora o problema é que decidi fazer a gata mais tigrada juntando branco, quando dei por mim tinha parte de uma gata que depois de vestida não se iria notar o que era vestido e o que era a gata 'despida'. Ri-me ! E depois fiquei aborrecida. E depois pensei que mais valia acabar o vestido quanto mais não seja para testar o vestido que copiei a olhómetro. Não me identifico em fazer as coisas assim, ou saem da minha cabeça ou são meramente inspiradas mas desta vez superei bastante as minhas expectativas. Decidi, teimosa e confiante mas este tipo de trabalhos com 2 cores têm 2 pontos que ainda considero ter muito a melhorar: a alternância das carreiras, 'entalando' melhor os fios por forma a manter os V's dos pontos meia e conseguir manter as malhas de ourela minimamente capazes de costurar e manter o padrão que estou a seguir.
Tenho trabalhado também no casaco em tricot para mim, optei por não fazer mangas, as instruções no tamanho que escolhi faziam umas cavas gigantes já que para ter um tamanho aceitavel de anca tinha que aumentar o número do casaco,já que o casaco era todo a direito. Na construção das peças a instruções baseiam-se em medidas mas depois quando se chega ao levantar as malhas das mangas já se baseiam em malhas e deparei-me com quase 20 malhas a mais que as pretendidas. Desmanchar? Nem pensar. Uni as costas e frente com o kitchener stitch, a técnica de costura que une duas partes tecidas sem costura visível, nem me passaria pela cabeça ter que desmanchar isso e a gola. Mas depois de ter acabado as cavas com um canelado firmemente rematado, para ajudar a fechar, decidi desmanchar a gola pois não gostava da forma de cair da mesma, ficava muito pesada e caía sobre os botões. Ainda estou na dúvida se faça a gola grande para ser dobrada para fora.
Outro trabalho que acabei foi o casaco para o meu filho mais novo. Fiquei desiludida pois o tamanho ficou justo. Tinha começado um casaco e com outro fio até mais fino e o mesmo estava com medida da amostra do casaco original e do que decidi depois fazer, depois mudei de ideias quanto ao fio e usei um acrilico, bem mais macio e acho que por deslizar melhor apertou mais, no entanto já ciente que isso podia acontecer usei agulha com 0.5m acima das que usei anteriormente. Ficou-lhe muito justo e curto (o mais estranho é que segui tamanho em medidas para 18meses) para não ter que desmanchar ( já tinha feito algumas costuras com agulha de ponta fina nas transições de cor do casaco) decidi bloquear a peça pois recordava-me que aquela lã bloqueada a vapor esticava bastante, agora já lhe serve, mas perdeu aquele ar encoprado do ponto mousse, as riscas estão mais visiveis mas nas primeiras costuras que fiz das riscas a malha não esticou como deveria e o meu pequeno ganhou uma casaco de andar por casa...

a gatinha parece-me mais perfeitinha nos detalhes da cabeça

o gato vestido de gata ;o)


como dá para reparar se vestir a gata com este vestido mais parece estar camuflada ;o)

a gola do meu casaco



depois de bloqueado a vapor

quando ainda era bonito mas pequeno... :o(