30 de setembro de 2015

Já 'nasceu' !

e não será filho único ;o)
Sempre quis tricotar um boneco, sempre ! desde que me conheço como gente interessada em mexer em agulhas, desde criança. Bonecos em crochet nunca fiz mas este em tricot enche-me os olhos de orgulho, pelo que ele significa, pelo meu esforço em arriscar, por tudo ! O meu filho mais velho adorou a ideia de lhe tricotar um gato, desde sexta.feira passada que anda a crescer, a cada parte do corpo perguntava pelas outras que lhe seguiam. Ele não queria a camisola que fiz mas eu quis tanto experimentar a técnica do Fair Isle que nas primeiras carreiras ficou bastante imperfeito, ora os pontos largos ou demasiado apertados, depois comecei a adoptar uma posição para segurar os fios meio à inglesa meio à portuguesa e no fim os pontos já saiam bem mais definidos. As lãs da roupa não eram para ser as que usei mas quando ia começar a tricotar reparei que a autora Julie Williams mencionava um fio 4 ply e o que tinha usado para o corpo não o era e se arriscasse ficava com uma roupa para um gato XXL. Lembrei-me das lãs para meias e sem querer arriscar em usar agulhas 2,5mm (a autora mencionava 2,75mm) usei 3mm já que a autora usa algodão e eu é lã com polyester. Quase no fim da camisola achei a camisola pequena mas decidi acabar na mesma e depois bloquear e ainda bem que o fiz, assenta na perfeição e é tão engraçado vestir e despir este boneco, até dá vontade de fazer-lhe mais roupinhas ;o) Apesar das lãs usadas para a camisola não terem sido as planeadas as lãs têm parecenças com as tonalidades do gato que a autora fez ;o) Os calções foram com a mesma lã para meias que estou a usar num trabalho em crochet. Já me pus a imaginar um gato mesclado de preto ;o) É tão rápdo fazer este bichanos eu demorei 5 dias mas fui fazendo à medida do tempo disponivel. Segue-se uma menina, apesar de eu ter somente comprado o Boy Cat, há também à venda as instruções da Girl cat ,talvez vá usar ou improvisar o esquema da camisola do gato. Veremos ! Mas quero melhorar alguns detalhes como o focinho/olhos e o fecho das malhas na cabeça, bem como nos pés, deveria ter fechado mais as malhas antes de as rematar, para além de me ter enganado nos pontos de um dos braços e estar mais gordo que o outro e quero encontrar um enchimento que seja o ideal para estes bonecos. Tenham um resto de boa semana ;o)





28 de setembro de 2015

Estou a gostar muito

de fazer este gatinho mas tem sido uma aventura ! Estagnei  nas orelhas do bichano durante uma tarde inteira graças ao facto de as mesmas serem feitas seguindo a técnica do intarsia logo na montagem das malhas. O segredo de um gato mais ou menos perfeitinho é mesmo as costuras serem feitas com muito cuidado, usando o matress stitch e saber fazer intarsia, ainda que seja em pouca quantidade e o fair isle. Sou suspeita mas acho que está a ficar uma fofura, agora estou mesmo na fase de costuras e engorda do bichano e depois vou passar para a roupinha, essa sim é capaz de demorar mais que o gato em si ;o) O novelo laranja foi à conta acabou restando apenas 3 cm de fio quando terminei a cauda do gato, agora espero que as pontas que tenho de sobra das montagens  de malhas e remates sirvam para costurar tudo... A lã que usei foi uma novidade para mim, usei o Big Merino da Drops pois a espessura e cor assemelhavam-se muito à do gato das instruções e também porque estava com um preço acessível. É um fio muito macio e agradável de trabalhar.



23 de setembro de 2015

Aqui há gato !

Haverá ! Quase a terminar o casaquinho do meu filho mais novo já abri caminho para começar a fazer um Gato em tricot de umas instruções que tinha comprado recentemente no Ravelry, o Boy Cat. Hoje imprimi as instruções (20 páginas, super detalhadas) e já adquiri uns novelos que penso serem bons para este trabalho, e agora ao escrever é que me lembrei que não contemplei o rosa para o nariz do gato, mas penso resolver isso com o que tenho em casa. Espero!
Este gato será uma oferta para o meu filho mais velho - e que já tem nome: Cocas - Ele volta e meia ainda me pergunta pelo Cocas (o nosso gato que partiu no fim de Março deste ano, o que podem ver na imagem do blog à direita) e ele gostava tanto dele e cresceu com ele, desde bebé, têm tantas fotos juntos que para além das fotos quero eternizar a cumplicidade própria de um menino que conviveu com ele até aos seus 3 anos e meio e a de um gato que NUNCA lhe quis fazer mal e sempre lhe roubava festinhas... Conforme as coisas corram com este projecto verei se encontro espaço para fazer um para o meu filho mais novo, esse merecia um parecido com a gata que nós temos, a Tuxa (também a podem ver na mesma imagem do blog), pois desde muito cedo mostrou grande entusiasmo com a gata, a ponto dela roubar-lhe grandes sorrisos e muita atenção. 
Entretanto tenho que acabar o casaquinho:


21 de setembro de 2015

Dica para trabalhos em tricot circular

Já colecciono alguns trabalhos trabalhados com agulhas de duas pontas. Sempre me debati com o mesmo 'problema' evitar aqueles pontos mais largos que se formam na transição das agulhas e só à relativamente pouco tempo, quando comecei a fazer as meias que mostro hoje como exemplo (trabalho este que já está à espera de ser concluído à demasiado tempo). Tentava apertar mais o ponto que estava a tricotar primeiro mas saía sempre vencida. Até que comecei a puxar o 1º ponto da agulha da esquerda antes de o tricotar, puxava o ponto dessa agulha para fechar a união desse ponto com o anterior da agulha da direita, depois puxava o 2º ponto da agulha e mais o outro só para garantir que mantinha a tensão dessa última carreira mais ou menos uniforme. Depois disso começava a tricotar esses pontos e todos os seguintes. Assim que terminasse essa agulha e começasse outra fazia o mesmo procedimento e não é que resultava ! Com o casaquinho de bebé que estou a fazer, comecei ontem as mangas e como não tenho agulhas de duas pontas na espessura que estou a usar decidi usar o magic loop que em peças mais largas até é fácil de manejar mas em peças pequeninas é uma forma de trabalhar um pouco trapalhona mas chega-se lá. Mas debatia-me também com  mesmo dilema de pontos aberto na transição das agulhas porque para piorar a força do nylon acaba por evidenciar mais isso. Mas seguindo novamente o que faço com as agulhas de 2 pontas e mantendo sempre o nylon entalado num dos dedos enquanto trabalho consigo 'domar a fera' ;o) Mostro-vos algumas imagens:

nesta meia a transição de agulhas não se nota nada
apesar da imagem estar nesta posição quero mostrar apenas como seguro o nylon para evitar que ele abra
No youtube existem inúmeros tutoriais a explicar o magic loop mas neste canal, em Português de Portugal, para além de explicar o magic loop, explica tantas outras coisas relativas ao tricot. Para quem não conhece o blog Nionoi, aconselho visita, vão querer arranjar tempo para aprender ;o) Hoje mostro-vos em detalhe a forma como faço para evitar pontos mais largos nas zona em que se dá a transição das agulhas.

aqui tenho as agulhas com metade das malhas para cada uma, o nylon fica à esquerda

depois puxo a agulha de trás (consideramos que é a da direita)
antes de tricotar puxo um pouco a malha que corresponde à carreira anterior
puxo a 2ª malha 
puxo a 3ª
na imagem pode notar-se a 3ª malha mais larga, depois começasse a tricotar normalmente
 
queria uma imagem mais perceptivel mas onde tenho a unha do polegar a apontar é onde está uma malha mais larga, no cordão de tricot seguinte podem ver que o ponto está mais apertado pois foi quando comecei a fazer o puxar das 3 primeiras malhas da agulha da esquerda e só depois tricotei.








15 de setembro de 2015

O que vou fazendo

e desfazendo...
No último post perguntava-me se terminaria tudo o que tenho em mãos no que se refere ao crochet e tricot e por volta de à 2 dias atrás desmanchei a camisola de bebé que estava  a fazer, o toque da lã não me estava a encher as medidas e depois comecei a achar o tamanho com pouca margem para crescer com o meu filho mais novo e depois comecei a achar uma camisola mais à homem e pouco bebé. Ao mexer nesta manta que fiz para ele gostei tanto do toque da lã e tenho tanta de sobra que decidi fazer um casaco alegre, muito alegre, talvez demais para alguns ! Com o aproximar do seu 1º aniversário ( ainda custa um bocado a acreditar como este ano passou tão rápido) este casaquinho é de certa forma uma oferta minha para ele, espero mesmo acabar antes do aniversário dele... O modelo é o Top Down Garter Stitch Baby Jacket. Nele fiz a alteração de ao invés de 1 botão, decidi fazer para 4.


esta imagem ficou estranha, pois não se vê o 3ª casa para o 3º botão, mas garanto-vos ele existe ;o)
Agora mostro-vos mais em detalhes os quadrados que ando a fazer, o esquema chama-se Victorian Lattice Square, podem ver mais imagens dele aqui e apesar de ser um quadrado demorado de se fazer, tem detalhes muito requintados e se nos primeiros quadrados pareciam difíceis de fixar o esquema, ao fim de uns 6 talvez já tenha começado a olhar menos para o esquema, actualmente se não ficar muitos dias sem fazer um ainda consigo fazer sem olhar para o esquema. As cores que mostro na foto são as que escolhi, é uma lã composta por 2 tonalidades no mesmo fio que se encontra torcidas e dão um aspecto mesclado quando a lã é tricotada ou crochetada. Tenho muita pena desta qualidade de lã já ter sido descontinuada e sobretudo de não ter mais do que 4 cores, se tivesse um laranja com bege e um verde seco com bege eu adicionaria a estas quatro cores que já tenho.

nesta imagem podem ver no lado esquerdo os meus 1ºs quadrados e à direita dois dos ultimos quadrados que fiz, dá para notar a diferença de tamanho... um mais à vontade com o esquema faz-me soltar mais a mão e se me sentir mais tensa tenho tendência para apertar mais, espero mesmo que estes quadrado casem mais ou menos bem uns com os outros depois de unidos...


Hoje mostro-vos o que vos contei no último post, o xaile de flores japonesas com lã cinza e lã matizada em tons de verde e azul. Para contrariar o formato trapezoidal dos xailes com estas flores experimentei fazer o formato triangular, ainda que pouco acentuado, e acho que está a ficar bonito, depois da peça acabada e bloqueada acho que ficará ainda mais bonita.





O casaco em ponto mousse para mim cresceu qualquer coisa, fi-lo um pouco mais comprido que o tamanho sugerido nas instruções e já estou a fazer o topo das costas e depois seguir-se-á o topo da lateral direita (onde farei as casas dos botões) e depois as mangas. Deu muito trabalho fazer crescer este casaco, o ponto não rende muito e fazer 200 malhas em cada carreira é um bocado aborrecido mas este modelo foi uma primeira escolha para fazer por ser a direito e sem demasiados detalhes que me podessem desafiar a mente menos atenta e até agora não tenho nada a apontar em negativo, só mesmo as instruções das mangas é que me parecem um bocado estranhas mas quando lá chegar verei. 



4 de setembro de 2015

Em jeito de regresso, um resumo

do que tenho mexido na calada das sestas e noites. Quando calha quando apetece. Apetece tanto que já comecei 3 trabalhos novos. É uma espécie de sede de coisas novas, cores novas, materiais novos e uma conclusão, voltei a priorizar o crochet. Mas tenho feito 200 malhas volta e meia de um casaco que cresce a passo muito lento. Experimentei um quadrado pelo qual me apaixonei assim que o vi, lembrei-me de umas lãs para meias que tinha, uma das cores estava a ser usada para umas meias, mas desmanchei e priorizei os novelos para estes quadrados. Juntei mais 2 cores da mesma qualidade de lã e ainda estou a tentar saber quantos quadrados faz um novelo já que descobri que esta lã foi descontinuada pela Drops e onde compro ela ainda existe stock mas muito pequeno. Mas antes destes quadrados, comecei flores japonesas do nada (esqueci-me de fotografar, fica para um proximo post), porque me apeteceu peguei no novelo matizado e juntei-lhe mais umas flores em cinzento e depois parei e dei prioridade aos quadrados em crochet. Depois decidi começar uma casaco (adaptando uma instruções já utilizadas por mim 2 vezes esta será a 3ª, o Puerperium cardigan) para o meu filho mais novo que perto da casa do 3º botão decidi unir a peça e fazer antes uma camisola mas com 2 botões  numa das cavas para facilitar na hora de vestir e assim se têm passado os momentos que dedico aos novelos e agulhas. Se vou acabar qualquer um destes trabalhos? Espero que sim! Os outros mais coloridos vão ter mesmo que esperar. Precisava de mexer em cores mais amenas, mais relaxantes.
Mudei o meu cantinho para estes hobbies para o meu quarto que é banhado de luz durante o dia quer seja verão ou inverno, a sala passou para os mais pequenos e com muita luz os olhos agradecem e o cantar dos passarinhos logo ali ao lado são muito boa companhia ;o) Bom fim de semana !