Instagram

Entre agulhas e outros hobbies é aqui que me encontram ! @uma.pausa.para

28 de dezembro de 2015

Ainda é Natal !

Um Grande OLÁ a quem por aqui passa e espero que tenham passado um Feliz Natal mas o Natal é quando nós queremos, certo? E até Dia de Reis ainda é Natal ! Antes que o dia de Natal chegasse ainda dei uma ginástica aos dedos e às agulhas e ainda no dia (à noite) do post anterior a este comecei um gorro de Pai Natal para o meu filho mais velho que não tinha nenhum que lhe servisse (e ele queria muito um) e apesar de não encontrarmos nenhum à venda na mesma queria muito fazer um para ele e para o irmão. Ora ainda tinha lã vermelha (um resto de um novelo de 100 g que tinha de sobra de outros trabalhos e ainda sobrou um bom bocado) e lã branca e na manhã do dia seguinte terminei. Nesse momento comecei logo o gorro do irmão mas apenas só vim a terminar já nessa noite. Fiz os dois de igual modo, se ainda me lembro o maior comecei com 90 malhas e o mais pequeno com 80 e para os dois, depois da barra branca em ponto mousse, fiz 30 voltas em meia e depois comecei as diminuições tal como fiz com as boinas mas não fazia diminuições em todas as voltas mas volta sim, volta não. Fiz com agulhas 4,5mm com uma lã que na rotulagem pede agulhas de 3mm. Ficou com malha mais aberta e por isso mais elástica, não queria gorros que ficassem muito justos, as crianças são um bocado aversas a peças justas na cabeça. O maior até serve-me mas lá está para ficar melhor teria que ter mais carreiras antes de começar a fazer diminuições, mas os gorros eram para eles. O bom de ter optado por fazer com malha mais elástica é que servirá para os próximos anos ;o). Com lã vermelha ainda fiz uma bandolete para a gatinha que fiz para oferecer à minha irmã neste Natal, mesmo sem sapatos acho que deu o toque final à boneca ;o)
Comecei hoje um casaco para o meu filho mais velho, já tenho a lã comprada à algumas semanas atrás e escolhi uma lã que pede agulhas de 4mm, não é nem muito grossa nem muito fina e as instruções que estou a usar são gratuitas e a meu ver o modelo é tão giro ! Ainda não pensei se vou utilizar mais do que uma cor para este casaco, terei que estudar se tenho alguma que fique bem ou se farei encomenda de algum.
Logo estaremos a entrar no novo ano de 2016 e apesar de eu não fazer grande festa em relação à passagem do ano velho para o novo ano a ideia de começar um novo ano com algo novo para tricotar parece-me bem!



Adenda:
A quem possa interessar publico abaixo as instruções para executar esta boina (em inglês), que são da minha autoria mas estão escritas de forma muito abreviada, tal como escrevi na minha páginas de projectos do Ravelry. O fio usado é ligeiramente acima do fio para meias (normalmente se utilizam agulhas 3mm) com agulhas 4mm. O tamanho maior é de criança e o menor é de bebé 12 meses, mas ambos são bastante elásticos.

Smaller Beret (Bigger Beret)
CO 80 (90) sts
10 (10) rounds garter stitch
30 (30) rounds os stocking st
k14 (16), k2tog (k2tog), repeat until end of round
k13 (15), k2tog (k2tog) ”
k12 (14), k2tog (k2tog) ”
|
k2tog (k2tog), k2tog (k2tog) x6 times
close st with remaining yarn, secure well


Já está maior que isto mas esta foi a única foto que tirei a este trabalho
W00110_small2
Professor Sweater

22 de dezembro de 2015

Uma boina ! E um Feliz Natal !

Como já vem sendo hábito, mudei de ideias em relação a uma oferta que tenho vindo a fazer em crochet, este xaile tem crescido meio contrariado como todos os trabalhos que tinha em mãos em crochet. Não me agarro com tanto afinco ao crochet e não tenho mostrado por aqui mas tenho até desmanchado alguns trabalhos em crochet para poder reutilizar os fios. 
Decidi fazer uma boina, alterei um pouco a forma de construção do último gorro que fiz, aumentei mais malhas e depois fiz as diminuições como as do gorro mas a dada altura achei que ficaria melhor se fizesse outras diminuições no meio das 6 partes que dividiam o fecho da boina e, modéstia à parte, acho que até ficou bem conseguido. Tenho anotado tudo (na minha páginas de projectos do Ravelry) para quando quiser repetir ao menos não tenha que 'inventar' de novo, é sempre bom recorrermos a umas instruções que tenham corrido bem ;o) 
E dou por terminadas as ofertas de Natal feitas em tricot, queria ter acabado umas peças que andam para ser terminadas à algum tempo, queria ter feito 2 bonecos para experimentar as instruções que comprei da menina raposa e do menino elefante ambas da Julie Williams, queria ter feito umas luvas mas não deu.. umas coisas foram-se metendo à frente de outras e agora quero sentir esta época festiva de outra forma, dar toda a atenção que possa à minha família. Hoje faço o pão para os próximos 15 dias e quero fazer mais uma fornada de biscoitos, alguns para oferecer, com a  massa do pão quero fazer filhós e quero 'estudar' quais serão as outras iguarias para o nosso Natal. Por isso despeço-me já com os votos de um Feliz Natal a todos que por aqui passam !






Adenda:
A quem possa interessar publico abaixo as instruções para executar esta boina (em inglês), que são da minha autoria mas estão escritas de forma muito abreviada, tal como escrevi na minha páginas de projectos do Ravelry. O fio usado é de espessura para meias (em que normalmente se utilizam agulhas 2,5mm a 3mm) com agulhas 4mm.

CO 100 - work in round magic loop
ribbing 1/1 (k1,p1) x10 rounds
k1, kfb - repeat until end of round = 150 sts
24 rounds stockinette stitch
k23, k2tog … repeat until end of round
k22, k2tog … ”
k21, k2tog … ”
|
k6, k2tog, k6, k2tog … repeat until end of round
k5, k2tog, k5, k2tog … ”
|
k1, k2tog, k1, k2tog … repeat until end of round
k2tog x12 times
k2tog x 6 times
close ring with tapestry needle

18 de dezembro de 2015

Gorro ou boina ?







A ideia inicial era ser uma boina mas saiu mais para o gorro pelo menos para uma cabeça de adulto, já na dos meus filhos já se assemelha com boina. Utilizei um fio indicado para fazer meias que indica agulhas 2,5 - 3mm, no entanto utilizei 4,5mm na ideia de fazer uma peça mais leve e solta nas malhas. Andei em vão à procura de umas instruções com alguns 'desenhos', seja em lace ou torcidos e experimentei torcidos mas desisti pois a malha larga não permite torcidos bonitos, então decidi só mesmo pelo ponto meia. Fiz com agulha circular e de forma circular, por isso, sem costuras. Não sabia bem como fazer as diminuições, queria em espiral, ou estrela mas nunca tinha feito algo do género e ainda pra mais sem instruções para seguir. Dei de 'caras' com um fórum sobre tricot e numa publicação lá encontrei o que queria. Dividir o número de malhas pelo número de espirais que queria: tinha 132 malhas, dividi por 6, obtive o número 22. Agora só tinha que subtrair 2 malhas (já que ia fazer uma diminuição simples e obtive o nr 20, e como?
132/6=22
22-2= 20
*k20, k2tog* (repetir de* a *)
knit all
*k19, k2tog* (repetir de* a *)
`*knit all

Achei que a melhor forma seria uma volta de diminuições e outra seguinte sem diminuições mas arrependi-me da escolha e fiz só quatro voltas assim (a 3ª volta foi k19, k2tog...) depois acabei por fazer diminuições em todas as voltas até ter apenas 6 malhas nas agulhas. Desde o k5, k2tog que comecei a usar as agulhas de 2 pontas, bem mais fáceis de trabalhar.
*k18, k2tog* (repetir de* a *)
*k17, k2tog*(repetir de* a *)
...

Pelas 6 malhas finais passei 2 vezes o fio, puxei, cortei e rematei. Gorro ou boina pronta. Para ser 'mais' boina convinha ter aumentado o número de malhas acima do canelado (com malha em meia torcida), talvez para uma próxima vez ;o)

Não se assustem com a terminologia (já me habituei a ela e nas minhas notas apenas escrevo em inglês, no entanto o meu inglês sem ser especifico do tricot já não arrisco tanto a escrever- ou pelo menos aviso que não é o melhor - já que apesar de ter formação académica superior só estudei inglês até ao 9º ano, com muita pena minha):

k20 - significa tricotar 20 malhas em meia
k2tog - significa tricotar 2 malhas em meia juntas (sentido para a direita)
Knit all - triocotar em meia todas as malhas dessa volta

O segredo, que é nenhum de facto, para se obter a espiral é ao tricotar-se as 2 malhas juntas apanhar-se sempre a malha anterior à última diminuição e junto com essa a da diminuição (a seguinte).

Tenham um excelente fim de semana, o nosso será passado a pensar em iguarias quer para fazer para o nosso Natal, quer a confeccionar biscoitos e alguma marmelada para oferecer ;o)

Adenda:
A quem possa interessar publico abaixo as instruções para executar esta boina (em inglês), que são da minha autoria mas estão escritas de forma muito abreviada (Podem seguir algumas indicações dadas nestes post também, não sei se duplico informação com esta adenda) tal como escrevi na minha páginas de projectos do Ravelry. O fio usado é de espessura para meias (em que normalmente se utilizam agulhas 2,5mm a 3mm) com agulhas 4mm.
 
I’ve cast on 100 sts.
10 rounds ribbing 1/1 - twisted knit/purl
knit 2, kfb - repeated all round
ended up with 132 sts
made around 30 rounds
started decreases as follows:
132/6parcels=22st
22-2 (for decreses) = 20 sts
1st round k20, k2tog (repete from * a )
2nd round knit all
3rd round
k19, k2tog* (repete from* a )
4th round knit all
(as this wasn’t going to work I’ve changed this decreses from each 2nd row to every each row):

5th round k18, k2tog (repete from* a )
6th until the end - always knitting 1 st less the previous row.
Ended up with 6 sts,left a long tail, cutted yarn and closed sts with tapestry needle with the remaining yarn.

 

17 de dezembro de 2015

Tarragon, o Dragão Gentil

Terminado ontem ao fim do dia. Adorei fazer este boneco, faz-se num ápice.
O que mais me agradou nas instruções:
♥ ser feito de forma circular (menos costuras, apesar de já estar mais familiarizada com o mattress stitch)
♥ as instruções são feitas para se trabalhar a 4 agulhas mas fiz a maior parte do boneco com  agulha circular no entanto para as peças mais pequenas (apesar de ser mais confuso manejar as agulhas com pouco mais que 2 malhas em cada uma) as agulhas de duas pontas fazem uma acabamento mais perfeito.
♥ Não gasta muita lã e é excelente para restos de novelos que ainda persistem de outros trabalhos.
♥ peças soltas para costurar  só mesmo a 'espinha', as asas (cada uma é feita de duas partes separadas), as patas dianteiras e as traseiras (que recorrendo a agulha de tapeçaria se pode conferir o efeito interdigital (por isso no post anterior aparecia uma lã branca dentro de um das patas que marcava o local onde posteriormente se passaria o fio da montagme das malhas para dar esse efeito).
♥ para quem já fez meias com o denominado heel flap a cabeça do dragão é feita de modo semelhante, onde são apanhadas malhas e feitas diminuições. O remate do focinho é feito com o Kitchener Stitch e folgo em saber que já o sei sem recorrer a cábulas ;o) 

As fotos foram tiradas de noite já que o Tarragon teve que sair cedo de casa e junto com ele foi outro embrulho, bem mais pequeno para oferecer à educadora, de uma mini meia em tricot com o esquema 'Little Trees, mas esqueci-me de fotografar.




16 de dezembro de 2015

Existem dragões gentis?

Existem pois! Na semana passada recebo uma nota da educadora do meu filho mais velho a comunicar sobre uma troca de presentes entre colegas que não custassem mais que 3 euros e logo no momento que li pensei que seria uma boa oportunidade de fazer uma prenda ao invés de comprar. E depois o que faria? Comecei a pensar que a tarefa iria ser complicada já que teria que servir para menino ou menina, não saberia a quem iria sair o que fizesse. Tinha em vista fazer um boneco das instruções Anything Animals (de Rachel Borello Carroll) tinha alguns por onde escolher, mas depois pensava se teria as cores mais indicadas para os fazer e achava mais piada às bonecas-menina do que fazer os animais... queria algo mais unissexo. Depois da mesma autora das instruções de alguns elementos decorativos da decoração natalícia que fiz, achei piada aos The Plumps, de Frankie Brown, mas ainda assim achava que não era bem isso que eu queria para a troca de presentes. E depois numa visita a um blog que sigo, o Marinoie vejo um trabalho que a autora do blog fez, acho que pela segunda vez, e na altura do primeiro post achei uma graça ao Tarragon the Gentle Dragon, achei-o tão perfeitinho em detalhes. Ora pois foi um dragão que fiz. Achei ainda mais piada ao boneco porque na página do Ravelry as imagens do mesmo era em tons de rosa, lilás, azul mas em casa não tenho muita variedade de cores em fio mais espesso então optei pelo cinzento e depois escolheria a cor dos outros elementos. Pensei em fazer multicoloridos mas depois não gostava do efeito em tricot e optei por um verde que tenho, bem ofuscante por sinal e depois de ter costurado as asas do dragão é que me lembrei que o verde não é igual mas é muito próximo da tonalidade de verde escolhido para alguns adereços da roupa dos colegas da escola do meu filho. 
Falta-me terminar as patas, ontem era para ter terminado o dragão mas tinha outras coisas para tratar para hoje e como a troca de presentes é já amanhã tenho de me apressar ;o)

Ontem recebi um comentário no meu perfil do Ravelry que me deixou super feliz ;o) A autora das instruções dos gatinhos (Julie Williams do blog Litte Cotton Rabitts) que tenho tricotado e mostrado aqui  diz ter adorado a forma como fiz os olhos da Carocha a gata preta e branca e que achou uma ideia brilhante !  Foi uma boa forma de terminar um dia que até começou mal para mim...

ainda não tem olhos tal como a gata que fiz anteriormente nem sei bem porquê só me apetece olhá-nos olhos nos olhos quando chega ao fim ;o)



14 de dezembro de 2015

Carocha

Mais um gatinho pronto ! Confesso que não ficou tal e qual como queria fazer. Em conjunto com o preto a cor natural de lã de merino (que de um novelo deu para fazer o Cocas, a Pituxa, e  o ainda sem nome) fica um bocado estranho e o preto sobressai o facto de não ser branco tipo tipo neve... E a carocha era branca e preta, assim o branco parece mais 'sujo'... e a par do vestido que fiz que é em branco e vermelho isso ainda sobressai mais, serei só eu que noto nisto e dou algum valor a essa discrepância?
Neste trabalho segui as instruções da girl fox para o vestido e na generalidade das partes do corpo da gata as do boy cat. Fiz três coisas totalmente diferentes do que a autora propõe, fiz uma barriga branca, seguindo a técnica do intarsia, as patas (traseiras) e os olhos. No que se refere às patas fiz todas por inteiro, ou seja, a versão menino ou menina é preciso costurar mais do que em um ponto: nos meninos é na sola da pata e no peito do pé e nas meninas é um sem fim de costuras, no entanto não foram elas que me fizeram optar por outra forma mas porque uma vez com sapatos vermelhos para sempre com sapatos vermelhos e eu gosto da opção de ter ou não sapatos e se a gatinha lhe apetece um vestido de outra cor? fica logo com o conjunto arruinado! ;o)

Ao invés de fazer mil e uma costuras e apanhar malhas daqui e dali, só para as pernas as instruções têm 3 páginas A4 e na versão que fiz tem apenas o fechar da sola da pata e com carreiras encurtadas (minha autoria) fiz tudo numa só peça sem mais costuras ;o). É nestas experiências que eu acho importante o facto de gostarmos de experimentar fazer peças novas, ter feito meias e sapatinhos de bebé ajudou muito esta tarefa, principalmente as meias que têm o calcanhar mais comum de se tricotar (com o heel flap) e os sapatinhos de bebé feitos com poucas ou nenhumas costuras, sem grande problema fiz num curto espaço de tempo o que estava a pensar em fazer, o que nem sempre é assim tão fácil já que na generalidade é mais fácil idealizar do que executar... Também optei por fazer assim as patas porque se quiser fazer uns sapatos (ainda estou a ponderar) eles irão assentar melhor do que se fizesse a costura central no peito do pé e de certa forma assim é como se aparentam as instruções mas obviamente não tem o mesmo efeito já que nas instruções de menina são usados fios mais finos para sapato e meias e depois usa-se fio mais espesso para as pernas.

Os olhos ocuparam grande parte dos meus pensamentos durante os dias que ia executando a gata, não chegava a uma ideia que me agradasse e quando já só era a única coisa que faltava (por erro meu costurei as peças todas e deixei os olhos para o fim mas seria o ideal fazê-lo antes de costurar a cabeça) lembrei-me de uma lã para tapetes de Arraiolos cor parecida à mostarda mas mais escura e coloquei na agulha essa lã com um fio preto e apesar de dar algum efeito que pretendia, o preto sumia um bocado e os olhos ficavam estranhos e depois lá me lembrei de passar novamente numa das laterais de cada olho outra volta com a lã grossa e assim o fio preto já se sobressaia e se aparentava com os olhos de uma gato verdadeiro. Usando apenas uma cor os olhos ficavam muito esquisitos e não gostava nada. A lã em cor natural foi usada até aos últimos centímetros que tinha e a faltarem-me umas 6 malhas para acabar uma das patas dianteiras o fio acaba-se... e depois lá encontrei uma ponta de uns 20 cm que tinha guardado numa bolsa e deu para acabar e ainda sobrou. Ufa! O vestido foi feito quase toda de uma assentada, e segui as instruções gerais que tenho para fazer a girl fox (prenda de Natal de mim para mim a par do boy elephant) mas adaptei a umas instruções parciais (gratuitas) de um vestido festivo de Natal também da mesma autora. 

A par desta gata tenho estado a experimentar tricotar uma boina para oferecer mas ainda estou na fase de experimentar e ver se me agrada já que o fio que tenho também não é bem o ideal para as instruções que quero fazer. Se achar que vale a pena seguir em frente depois falo melhor sobre ela. Boa semana para  voçês !







10 de dezembro de 2015

Uma 'aventura'

a preto e branco ! Sempre li que o preto é uma péssima cor para tricotar mas a gatinha que vou tentar representar era nestas as cores. Digo era, porque não está mais entre nós à quase um ano. Como sei que deixou bastante saudade e apesar da dor da saudade também conforta recordar/homenagear.
Destreinada com a técnica do intarsia (usar cores que não se repetem ao longo da peça na horizontal, mas na vertical, ou até diagonal) comecei a cabeça 3 vezes ontem de noite e como podem imaginar a noite não é grande amiga de tricotar a preto por isso só tinha mesmo que correr mal. Hoje lá dei com a forma de cruzar os fios  no avesso e da cabeça já só faltam os olhos e o nariz ;o) Os olhos esses serão cor de mel e não faço ideia como fazê-los ou se tenho alguma lã/linha nessa cor. Quanto à vestimenta da gatinha, confesso estar inclinada para o vermelho ;o)


9 de dezembro de 2015

Cachecol Victorian Lattice Square

De uma manta (pelo menos era essa a intenção) os quadrados que tinha passaram a gola (usando apenas 3 quadrados) e a um cachecol que vos mostro hoje. Uni-los todos em crochet não me convencia, talvez seja uma fase, mas o tricot é a técnica que nestes últimos meses me tem cativado mais e foi por isso que decidi não continuar a fazer quadrados para fazer uma manta. Pensei logo num cachecol que sendo comprido dá para enrolar ao pescoço de muitas formas, uni os quadrados tal como fiz com a manta de estrelas que fiz para o meu filho mais velho, usando agulha de tapeçaria e pelo avesso apanhando os pontos da forma como mostro nas imagens seguintes. Depois comecei a árdua tarefa de levantar malhas com a lã que decidi usar para o bordo, digo árdua porque foram muitas e até ver qualquer coisa a crescer passaram-se muitos dias. Foi um trabalho feito pela calada, com a intenção de acabar mas sempre com a suspeita de vir a ser encostado e esquecido. Mas não foi e ainda bem que assim foi.
Quanto ao bordo já não me recordo bem do nr de carreiras que fiz em ponto mousse (garter stitch) antes do picot que nada mais é que o remate do trabalho, mas a passo muito lento. Mas recordo-me que comecei montando 2 malhas extra às que tinha na agulha da esquerda usando Knit-on cast on (ou montagem tricotada, tal como a Sofia Carneiro menciona) que nada mais é que fazer uma malha em meia com a agulha direita e, sem tirar da agulha dar uma ligeira torção ao inserir na agulha da esquerda, essa malha será usada para a próxima malha a adicionar. Logo em seguida é feito o remate (cast off ou bind off já que significam a mesma coisa) de 3 malhas em meia e no último remate voltar a colocar a malha da agulha da direita para a da esquerda e essa malha irá formar uma nova malha com o knit-on cast on e depois essa irá dar origem à segunda malha e continuar a rematar 3 malhas repetindo asim: montar 2 malhas, rematar 3,montar 2 malhas, rematar 3  e assim sucessivamente.

Não deixem de visitar o Querido Tricot da Sofia Carneiro aqui ou aqui








o avesso do cachecol

 A forma de costurar os quadrados

no avesso
agulha da direita para a esquerda

agulha esquerda para a direita 

 no direito é assim que vai ficando

depois de costurado as costuras ficam bastante seguras e invisíveis



8 de dezembro de 2015

Decoração Natalícia

Terminei de vez e cada vez que entro em casa (e não é por esta porta, apesar de ser a que está de frente para a entrada) é esta imagem que vejo e sorrio sempre ;o) Foi sem dúvida um bom passatempo e uma experiência a repetir futuramente. Continuo a dizer que fazer estas peças é super fácil, utiliza-se os pontos mais básicos do tricot e a brincar fazem-se formas muito engraçadas que muitos acham que só se conseguiriam fazer em crochet. De todas as peças que compõem esta decoração a casa é a que menos me enche as medidas, foi improvisada e ficou muito tosca, quem sabe para o novo ano faço uma mais perfeitinha ;o) Sempre fiz as letras do 'Feliz Natal' mas como o tempo e a disposição têm diminuído (vicissitudes da vida, doença pela milésima vez desde Outubro do meu filho mais velho) optei por recortar feltros e colá-los em cartão e decorar com cola de brilhantes.
Ando ocupada a terminar um xaile em crochet, quero iniciar mais um gato em tricot e quero mostrar aqui um cachecol que fiz para mim com uns quadrados de crochet. Para além de querer fazer uma boina e um outro par de luvas, terminar um xaile e também as minhas meias... a ver se arranjo tempo para tudo !





para terem uma ideia de como fiz os bonecos: comecei 2 i-cord para cada bota e depois mantendo as malhas do icord fiz montagem de malhas para as pernas/fato, mudando de cor para a cara e o gorro. Depois de rematado com o fio por entre as malhas, costurei com o mattress stitch e quando estou na zona do pescoço enrolo o fio da costura à volta para dar formato da cabeça e continuo a costura por aí abaixo. Faço mini pompons com lã branca que ora faço passar por dentro do boneco e faço sair pelo topo da cabeça, deixando alguma lã de fora e depois dou forma com a tesoura. Bordei as feições do rosto e terminado ;o) O último boneco foi o mais fácil de fazer, já estava bem treinada ;o)

4 de dezembro de 2015

Decorações de Natal - ainda em curso

Gostava de vir cá mostrar-vos a decoração já pronta mas ainda não está. Como não é hábito meu publicar no fim de semana, mostro-vos como está a decoração neste momento, falta um espaço por preencher, provavelmente terá flores e folhas, pois para elas tenho cores, o que tenha castanho não posso fazer. Tenho usado lãs acrílicas, a pinha é de lã natural (mas é uma lã grossa) e também usei algodão desmanchado de algumas amostras de granny squares que fiz e de fios de meio ponto que tinha de sobra de um trabalho que fiz à já alguns anos. Este é sem duvida um trabalho para gastar o que se tem de sobras e inicialmente não estava pensando fazer uma mini representação da nossa família e tinha (tenho) em mente cortar umas letras em feltro a dizer Feliz Natal penduradas no tronco. Este fim de semana vamos montar a árvore de Natal e as meias que fiz já estão costuradas agora só estão à espera de serem penduradas junto com os outros enfeites ;o) Bom fim de semana !

os bonecos ainda têm que ser melhor sentados ;o)


30 de novembro de 2015

Decoração Natalícia e luvas de criança

De à dois anos para cá tenho usado uma mini coroa que fiz em tricot e crochet para decorar a entrada da casa, foi uma espécie de brincadeira com amostras de instruções que fui guardando e com um ou mais outro detalhe natalício deu o toque à peça. Este ano estou a fazer decorações apenas em tricot e com as lãs que por aqui habitam... é pena não usar outras tonalidades mais bonitas, diferentes, mais natalícias, mas se não for usando estas lãs parece-me que não abro espaço para novas cores.
Numa pesquisa de decorações de natal em tricot pelo Ravelry encontrei o designer Frankie Brown com instruções gratuitas mas que é receptivo a receber doações para ajudar a Children's Liver Disease Foundation e digo-vos que tem instruções deliciosas e super interessantes de fazer, em algumas peca pela falta de alguns detalhes explicativos mas para quem está familiarizado com algumas técnicas de tricot e sobretudo com instruções em inglês muito certamente ultrapassará esses pequenos entraves. Estou a usar parte das instruções de uma grinalda de Natal que se encontra disponível em documentos em separado e por partes podemos fazer crescer a grinalda, começando pela cobertura do esferovite, depois o que vai forrá-lo, fazer grinaldas de folhas de várias qualidades, bolotas, mini ouriços, cogumelos, flores, pinhas... a única decoração que usei fora dessas instruções foi a flor que por cá chamamos Estrela de Natal e usei estas instruções, que pecam pela enorme quantidade de fios que no fim temos de domar e talvez arrisque a fazer uma outra flor (são super fáceis de fazer) adaptando as instruções para fazer as peças todas em modo consecutivos, sem não mais que duas pontas quer paras a camada de verdes, quer para a de vermelhos. No centro, em amarelo, até já fiz alterações para ao invés de 6 pontas para rematar só tivesse 2 (menos mal). No fim deste trabalho mostro-vos o resultado final ;o) E não me posso demorar, Dezembro está quase a chegar ;o)
Mostro-vos as luvas, já estão terminadas desde a semana passada e por falta de tempo só agora vos mostro.
Boa semana para voçês !





26 de novembro de 2015

Um gato e um mini coelhinho

foram de viagem sem bagagens mas foram bem agasalhados. Grandes amigos partiram para uma viagem ainda longa mas que valerá a pena já que irão encontrar mãos que os irão acarinhar e mesmo sem saberem falar, ler nem escrever vão aprender que na vida amigos nunca são demais !
É pena não me ter lembrado de fazer um rabinho em pompom para o coelho mas entretanto já o entreguei ao meu marido para enviar pelo correio







25 de novembro de 2015

As minhas chinesices

vão-se tornar numas luvas. Cansei-me de encontrar instruções para fazer umas para o meu filho mais velho. Mesmo usando uma lã e instruções da mesma marca da lã a amostra de pontos era um tanto estranha, só trabalhando bastante abaixo no tamanho das agulhas consegui o efeito desejado. Queria umas luvas que se ajustassem à mão e que não ficassem a caber lá 2 mãos. Mesmo na foto das instruções as mesmas pareciam estar bastante largas ao modelo e a única coisa que usei destas instruções foi mesmo o número de malhas na montagem, mais nada, o resto foi mesmo ao sabor da improvisação e de olhar para estas instruções, de onde apenas retirei o facto de fazer os aumentos e espaçamento dos mesmos e o facto de acrescentar 2 malhas depois de ter separado as malhas do polegar para trabalhar a restante mão. Como tinha pedido ao meu filho para lhe desenhar a mão com bastante margem fui pondo por cima do desenho e assim fui chegando ao fim. Na execução fui achando as linhas de onde seria para aumentar ou diminuir e agora, ou melhor, mais logo, terei que começar o quanto antes a 2ª luva já que eu tenho o péssimo hábito de tirar notas super ilegíveis e se passa muito tempo depois de as escrever nem a minha letra eu percebo ;o)

O gatinho do último post já está completo e ficou uma fofura, mas só amanhã publicarei ;o)



24 de novembro de 2015

Gato (mais um) e meias

Não me canso de fazer estes gatinhos e este que vos mostro hoje é mesmo um gatinho já que saiu bem mais pequeno que os outros. Como na altura que o comecei não tinha as agulhas de 3mm disponíveis usei uma de 2,5mm com a lã que me sobrou deste casaco. Ficou com mais ou menos 23 cm de altura, a Pituxa e o Cocas rondam os 27 cm. A execução deste gato já andava a demorar-se demais, desde a execução da 2ª meia deste par que tenho vindo a ter problemas num dos olhos e tenho tentado não esforçar demasiado. Como alguns de voçês devem de saber este gato cinzento irá juntar-se a outros mimos que outras bloggers (e não só) irão oferecer às crianças que estão abrangidas pela associação NOMEIODONADA que apoia crianças com necessidade de cuidados paliativos.
Gostei tanto do gato assim que não vou fazer nenhuma peça de roupa para o vestir, no entanto depois de tirar fotos acho que vou fazer um cachecol com as mesmas cores da meia que irá acompanhar o gato. Dentro da meia quero colocar um boneco destes mas tal era a minha vontade de vos mostrar o gato já concluído que publico-o mesmo ainda sem ter os adereços a que me propus fazer para o acompanhar. No entanto noutro post irei registar o conjunto completo.
Ora ainda antes de concluir este gato fiz algumas meias, com algumas alterações às instruções para tornar a peça mais fácil de montar, aproveitando não apenas um ponto da presilha para pendurar, mas levantando mais outro e depois montar as malhas suficientes para depois com mais dois pontos levantados na outra ponta da presilha perfazer os 35 pontos necessários para a confecção da presilha. Na minha opinião a forma mais fácil mesmo é fazer às riscas, faço uma meia assim bastante rápido, já com os esquemas de desenhos para além de demorar um pouco mais nessa parte depois para a confecção dos calcanhares apenas numa cor e o resto do peito do pé noutra causa alguma confusão, posso dizer que para executar a meia cinzenta demorei um dia (no meio de outras tarefas): o cano foi bastante rápido ainda que com os desenhos mas depois do calcanhar para diante foi um faz e desmancha sem fim mas concluí. As meias às riscas num dia sou capaz de fazer umas 3, a vermelha em fair isle fiz numas 3 horas. Gostaria de fazer mais uma ou outra mais elaborada mas vou fazer mais às riscas. Algumas faltam costurar mas só depois de ter terminadas as que pretendo fazer é que vou começar as costuras.